Serviços essenciais atenuam impacto da pandemia sobre o setor

O setor de serviços foi um dos que mais sofreu impacto da pandemia no último ano. Segundo dados do IBGE, a retração de quase 8% no volume do segmento ao longo dos 12 meses de 2020 foi a maior queda observada na série histórica do instituto, desde o início do monitoramento em 2012.

Os resultados deste O Melhor de sãopaulo refletem o cenário. São raras as variações fora da margem de erro. Em apenas 4 das 29 categorias que possibilitam comparação com o ano anterior, há redução na dificuldade dos entrevistados em apontar as marcas que se destacam em suas categorias.

Entre as lembranças, em apenas sete casos há oscilações acima dos três pontos percentuais. No entanto, apesar da baixa frequência, a maior parte dessas mudanças são bastante simbólicas.

Concentradas especialmente nos serviços essenciais, elas ilustram transformações nos hábitos de consumo e na imagem de instituições e empresas que conseguiram se firmar não só para o mercado, mas principalmente para consumidores e cidadãos.

O exemplo mais emblemático é o crescimento de sete pontos percentuais nas menções ao SUS como o melhor serviço público prestado na cidade.

O Sistema Único de Saúde, que era lembrado por apenas 2% dos entrevistados na primeira pesquisa, realizada em 2015, e que manteve o mesmo patamar até 2019, já insinuava o peso de sua relevância no levantamento do ano passado, realizado pouco antes do primeiro caso de Covid-19 ser confirmado no país.

Em 2020, o serviço já tinha apresentado oscilação positiva de quatro pontos percentuais. Somado aos sete, que ganha agora na fase mais crítica da pandemia, consolida 11 pontos de evolução em dois anos.

Outras variações significativas aparecem em categorias de consumo. A mais simbólica se refere aos serviços de delivery. Nas entregas de supermercado, iFood cresce nove pontos percentuais, enquanto Pão de Açúcar cai na mesma proporção. A marca de aplicativo empata com a de supermercado, líder tradicional como benchmark do setor.

Em comércio atacadista, a percepção de qualidade de Assaí também tem ascensão de nove pontos percentuais e bate recorde nas taxas de menção.

Em outros serviços essenciais o movimento ocorre com dispersão das citações, isto é, com um número maior de marcas sendo reconhecidas pelos consumidores como destaques em seus segmentos.

É o que acontece, por exemplo, em farmácias e laboratórios de análises clínicas, na qual outros nomes, não necessariamente líderes, apresentam oscilações positivas e dividem o awareness entre os respondentes.

Para a próxima edição da pesquisa, fica a esperança de que o SUS continue em ascensão na memória dos paulistanos, que a campanha de vacinação acelere e, com isso, aqueça a economia. Só assim outras marcas chegarão ao trono novamente.

FOLHA DE S. PAULO