Candidatos de Bolsonaro são eleitos para Câmara e Senado

Os candidatos apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro foram eleitos ontem para o comando das duas Casas do Congresso Nacional. Arthur Lira (PP-AL) se elegeu para a presidência da Câmara dos Deputados em primeiro turno, com 302 votos. Derrotou Baleia Rossi (MDB-SP), candidato do até ontem presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que obteve 145 votos.

No Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) também venceu a eleição com facilidade, obtendo 57 dos 78 votos, contra Simone Tebet (MDB-MS), que teve 21 votos. Lira defendeu uma Câmara independente em relação ao Executivo, mas deixou claro que vai dar prioridade à harmonia entre os Poderes. “O Brasil não aguenta mais acotovelamentos, brigas e puxar cordas.” Pacheco afirmou que pretende conciliar um novo auxílio emergencial com a manutenção do teto de gastos.

Com esses dois resultados, o Palácio do Planalto tem como certos o avanço de sua agenda econômica e uma solução afinada entre as duas Casas para o auxílio emergencial. Na visão do governo, o esboço do novo socorro à população mais vulnerável na pandemia implica um Bolsa Família reforçado, e não a prorrogação do auxílio emergencial. O modelo concebido por Lira prevê uma remuneração média de R$ 280 e a inclusão de 10 milhões de novos beneficiários no programa. A equipe econômica aposta nas votações das reformas administrativa e tributária e no avanço das privatizações. Uma reforma ministerial, como contrapartida pelo alinhamento do “centrão” ao Palácio do Planalto, caminhará a “conta-gotas”. Com o ministro Eduardo Pazuello sob investigação, uma mudança no Ministério da Saúde não está descartada, no entanto, deve ficar para um segundo momento.

VALOR ECONÔMICO