Bruno Covas assina manifesto que pede retomada do auxílio emergencial

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinou um manifesto que pede a retomada do pagamento do auxílio emergencial por parte do governo federal e a criação de um projeto nacional de renda mínima (ou a expansão do Bolsa Família).

O texto é de autoria da Frente Mista em Defesa da Renda Básica, formada por 214 parlamentares de 23 partidos, e Covas recebeu o convite para assiná-lo de um de seus membros, a deputada Tabata Amaral (PDT-SP).

“É urgente aprovarmos a prorrogação do auxílio emergencial e expandirmos o Bolsa Família, adaptando-o à situação econômica crítica em que nos encontramos e construindo um programa robusto de transferência de renda que não deixe a população brasileira à própria sorte”, diz o texto.

“Com o fim do auxílio, 12,8% dos brasileiros passaram a viver com menos de R$ 246 por mês, de acordo com a PNAD Contínua e a PNAD Covid 19. Ou seja, são quase 27 milhões de pessoas em situação de pobreza. Retrocedemos aos níveis de 2011”, continua.

Em São Paulo, Covas decidiu retomar o pagamento do programa de auxílio emergencial municipal por mais três meses. O projeto de lei que autoriza a prorrogação deve ser votado nesta semana da Câmara dos Vereadores.

FOLHA DE S. PAULO