Tribunal nega equiparar direitos de terceirizados aos de funcionários da Eletropaulo

O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em São Paulo, declarou que relações de terceirização na Eletropaulo são legais e negou equiparação dos direitos dos empregados terceirizados com os dos funcionários da empresa.

A decisão foi da juíza federal Sonia Franzini, que não reconheceu vínculo dos terceirizados.

“A decisão tem enorme impacto sobre os milhares de contratos de terceirizados da Eletropaulo, bem como reforma a condenação imposta pela sentença de 1ª instância que poderia onerar por demais as operações”, afirma o advogado Ronaldo Tolentino, que representou a empresa.

FOLHA DE S. PAULO