Justiça do Trabalho manda Bradesco adotar medidas contra assédio moral

O Tribunal Reginal do Trabalho da 1ª Região determinou que o banco Bradesco adote uma série de práticas para prevenir e investigar casos de assédio moral e discriminação na instituição.

LIMITE 
A decisão acata pedido do Ministério Público do Trabalho do Rio Janeiro. O banco, que tem 89.575 funcionários em todo o Brasil, também foi proibido de fazer rankings de produtividade comparando funcionários, sob pena de multa de R$ 100 mil por descumprimento.

RESPEITO 
O Bradesco diz não comentar assuntos em julgamento, mas afirma que “tem políticas claras e bem definidas que não admitem a prática de comportamento de qualquer tipo de assédio” e que são “amplamente divulgadas” e informadas para seus empregados em treinamentos. “E comitês internos analisam todas as manifestações recebidas e tomam as medidas necessárias”, segue a instituição.

FOLHA DE S. PAULO