youtuber, blogger, screenwriter-2838945.jpg

Emprego informal ainda responde por quase 70% do aumento da população ocupada, diz IBGE

Valor Econômico – 01/10/2021

O emprego formal começou a reagir em julho, mas o trabalho informal ainda respondeu por quase 70% (66,8%) do aumento da população ocupada no trimestre móvel encerrado em julho, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A população ocupada no país chegou a 89,042 milhões no trimestre encerrado em julho, o que significa 3,102 milhões de pessoas ocupadas a mais. Deste aumento, 2,073 milhões de pessoas eram informais, ou 66,8% do total.

Para se ter uma ideia, no segundo trimestre de 2021, 77,4% do aumento da população ocupada frente ao trimestre anterior vinha do emprego informal, ou 1,658 milhão das 2,141 milhões de pessoas ocupadas a mais.

A população ocupada informal compreende os empregados do setor privado sem carteira de trabalho assinada, os trabalhadores domésticos sem carteira, os trabalhadores por conta própria (com e sem CNPJ) e também o trabalhador familiar auxiliar (sem rendimento).

Coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Beringuy ressaltou que os trabalhadores informais continuam sendo “os impulsionadores” da reação do mercado de trabalho, apesar da mudança no comportamento do mercado de trabalho no trimestre em julho, com a reação do emprego formal.

O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (exclusive trabalhadores domésticos) atingiu 30,6 milhões de pessoas no trimestre encerrado em julho, um aumento de 3,5% (1,0 milhão de pessoas) frente ao trimestre anterior e de 4,2% (1,2 milhão) ante igual trimestre de 2020.