Economia chinesa dá sinais de desaceleração

A atividade econômica da China cresceu em um ritmo mais lento em abril, enquanto as vendas no varejo ficaram abaixo do esperado, colocando em dúvida o cenário de firme recuperação da segunda maior economia do mundo. “A economia da China mostra sinais de recuperação desequilibrada: exportações e investimento doméstico fortes de um lado, e consumo fraco do outro”, disse Zhiwei Zhang, economista da Pinpoint Asset Management. A produção industrial da China cresceu 9,8% em abril, comparado com abril do ano passado, após crescer 14,1% ao ano em março, segundo dados oficiais divulgados ontem. O investimento em ativos fixos também desacelerou, de 25,6% no primeiro trimestre para 19,9% no período janeiro-abril.

As vendas no varejo, um importante indicador do consumo doméstico da China, desapontaram: crescimento de 17,7% ao ano em abril, bem abaixo do ritmo de 34,2% de março. A fraqueza dos indicadores mais recentes também reflete, em parte, o fim dos efeitos de uma base mais baixa de comparação, já que em abril do ano passado a China começava a sair do “lockdown”. No setor industrial, o crescimento da produção de veículos automotores caiu drasticamente, de 69,8% para 6,8%, em parte devido ao efeito de base, bem como à crítica escassez de semicondutores usados em sistemas automotivos. O crescimento na produção de cimento também desacelerou em abril, e a produção de carvão caiu no ano, embora a produção de alumínio e de aço bruto tenha atingido níveis recordes, graças à firme demanda.

VALOR ECONÔMICO