laptop, office, hand

Micro e pequenas empresas recuperam otimismo

Ajudado pelo avanço da vacinação e pela retomada de programas como auxílio emergencial e BEm, o Índice de Confiança de Micro e Pequenas Empresas (IC-MPE) atingiu em maio o maior nível desde dezembro de 2020, ao registrar 93,5 pontos. Foi a segunda alta consecutiva e um avanço de 5,4 pontos em relação a abril. Os dados foram divulgados ontem pelo Sebrae.

“Uma das possíveis razões pelo otimismo por parte das MPE é o fato de que as medidas restritivas têm sido flexibilizadas, além da possibilidade do aumento na oferta de vacinas para a população em geral”, comentou em nota o presidente do Sebrae, Carlos Melles. Em maio, especificamente, as vendas nos Dia das Mães e a queda do número de óbitos pelo coronavírus contribuíram para um cenário mais positivo. Com a confiança em alta, as micro e pequenas empresas pretendem contratar nos próximos três meses. É a primeira vez que a expectativa de criação de vagas supera a de demissões. O dado foi destacado por Melles.

Na abertura por setores, o comércio foi o que apresentou maior alta no mês, passando de 79,9 pontos em abril para 90,5 em maio. Com isso, a recuperação da confiança no comércio somou 22 pontos nos últimos dois meses. “A alta da confiança das MPE desse setor decorre do aumento da satisfação com a situação atual, o desempenho nas vendas efetivas de maio e da melhoria das perspectivas de vendas para os próximos três meses”, informa o Sebrae. Melles destacou a alta de 7,7 pontos na confiança do comércio de material de construção, que chegou a 90,2 pontos. Também houve recuperação forte em veículos, motos e peças e no varejo restrito.

A confiança no setor de serviços, o mais impactado pela crise, avançou 7,2 pontos em maio e atingiu 86,9 pontos, o maior nível desde fevereiro de 2020, o que indica o retorno ao nível pré-pandemia. Os fatores que mais influenciaram esse resultado foram o aumento da demanda atual e o otimismo em relação à tendência dos negócios nos próximos seis meses. Conforme o Sebrae, o segmento de serviços prestados às famílias foi o que mais contribuiu para a alta desse mês, ao subir 12,6 pontos, para 83,3 pontos, o maior nível desde outubro de 2020 (85,1 pontos). Este segmento foi seguido de transporte (7,4 pontos), serviços profissionais (7 pontos) e informação e comunicação (5,1 pontos).

A confiança das micro e pequenas empresas da indústria de transformação atingiu 97,7 pontos em maio. A variação foi positiva em 1,9 ponto, após cinco meses de queda. Entre os segmentos mais relevantes da indústria, vestuário foi o que mais contribuiu para a melhora da indústria, com alta de 14,8 pontos, levando a 87,9 pontos, após cinco quedas consecutivas. Já o de alimentos teve queda de 4,5 pontos, para 82,4 pontos.

VALOR ECONÔMICO