broke, poor, empty-4765739.jpg

Mais de um terço das famílias relata queda da renda mensal no primeiro trimestre, aponta pesquisa

G1


Levantamento da empresa de dados TransUnion mostra que grande parte dos brasileiros sentiu orçamento diminuir, prepara cortes de gastos para próximos meses e teme não conseguir pagar as dívidas totalmente.

40% das famílias brasileiras indicou que a renda diminuiu nos primeiros três meses deste ano, aponta pesquisa da empresa de dados TransUnion. A queda foi causada principalmente por perda de emprego ou redução de salários.

O impacto foi maior para as famílias de baixa renda. Entre pessoas que ganham até R$ 1 mil, 53% indicaram que o orçamento familiar encolheu neste período. O percentual cai consideravelmente para as famílias com renda mais alta: foi de 35% para quem ganha entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por mês, e de 24% para as famílias com renda acima de R$ 10 mil.

Por causa do aperto, a maioria dos entrevistados (77%) respondeu que tem preocupação se conseguirá pagar as contas integralmente, como as de manutenção de casa e empréstimos. Entre as pessoas que perderam renda, 60% disse que não conseguiria pagar pelo menos uma das contas atuais.

O peso no bolso dos brasileiros é motivado pelos impactos financeiros da pandemia de Covid-19, mas também pelo aumento da inflação e da taxa básica de juros do país, e tem levado a uma reorganização dos gastos, analisa Claudio Pasqualin, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da TransUnion Brasil.

O aumento de salário e de oportunidades de negócios é menor do que as reduções e demissões. Por exemplo: enquanto 24% dos entrevistados disse que alguém em casa perdeu o emprego e 22% teve algum familiar com salário reduzido, apenas 13% relatou que alguém de casa começou um novo negócio, 11% teve aumento salarial e somente 7% conseguiu emprego no período.

O que os brasileiros estão cortando

Jantar fora, viajar e pagar ingressos de shows e cinema virou passado para quase metade dos brasileiros. 49% das pessoas entrevistadas vão ter que cortar esses gastos extras para que o salário dure até o fim do mês.

Boa parte (43%) também prepara cortes em compras caras, como eletrodomésticos e carros, e no varejo (com roupas e eletrônicos) nos próximos três meses. Além da queda da renda, a inflação também pesou no comportamento de 84% dos entrevistados.

O aumento dos juros também afetou as decisões sobre empréstimos e financiamentos. Mais da metade das pessoas pesquisadas (56%) indicou que o aumento das taxas de juros teve um grande impacto sobre a decisão de solicitar crédito nos próximos 12 meses.

Mesmo assim, o crédito foi considerado pela maioria das pessoas (91%) como um acelerador do alcance de metas financeiras. Mas apenas 45% afirmou que atualmente têm acesso a uma quantia suficiente.

https://g1.globo.com/economia/noticia/2022/05/20/mais-de-um-terco-das-familias-relata-queda-da-renda-mensal-no-primeiro-trimestre-aponta-pesquisa.ghtml