Dívidas das grandes recuperações judiciais mais que dobram em 5 anos, para R$ 296 bi

A dívida das empresas responsáveis pelos 20 maiores processos de recuperação judicial no Brasil somava, até abril, quase R$ 296 bilhões. O número é mais que o dobro de 2016, de R$ 134 bilhões, quando a consultoria Alvarez & Marsal iniciou o estudo. O motivo são processos gigantes liderados pelo do Grupo Odebrecht, dono da maior dívida do País, R$ 83,6 bilhões, seguida da Oi, com R$ 64 bilhões. Samarco, que protocolou mês passado o pedido de recuperação judicial, ocupa a terceira posição, com R$ 50,6 bilhões.

No ano passado, os programas do governo e o suporte dos bancos às empresas fizeram poucas companhias entrarem na lista, segundo o sócio da A&M, Eduardo Seixas. Para ele, a partir do segundo semestre, os números de novos pedidos devem acelerar. A A&M estima que chegarão aos 1,8 mil.

Seixas diz que os pedidos deste ano não devem superar o recorde de 2016 porque, naquele ano, o PIB encolheu 4,5%. Mesmo assim, o crescimento não será capaz de frear os pedidos de proteção à Justiça este ano, especialmente entre as médias e pequenas.

O ESTADO DE S. PAULO