• Banner Higiexpo
  • Site Fenaserhtt de cara nova
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • Câmara setorial
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • Conferência Internacional do Setor de Serviços Brasil-Portugal
  • 26anos Novo

18/05/2017| Palestra e Plantão de Dúvidas sobre exclusão do ISS da base de cálculo de PIS/COFINS

 

EXCLUSÃO DO ISS DO CÁLCULO DE PIS/COFINS EXIGE CAUTELA

 
Empresas devem pleitear individualmente na Justiça a restituição do valor já pago
 
O Sindeprestem recebeu na manhã desta quinta-feira (18) o advogado tributarista Ricardo Godoi, consultor do Sindicato e também da Fenaserhtt, para esclarecer a decisão favorável proferida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região em abril último, que excluiu o ISSQN da base de cálculo de PIS/Cofins das empresas filiadas aos sindicatos vinculados à Fenaserhtt.
 
 Vander Morales, presidente da Fenaserhtt e do Sindeprestem
 
A exclusão do ISS já pode ser feita pelas empresas, mas a União tem até o início de junho próximo para recorrer da decisão. “A União deve apresentar recurso e será preciso aguardar o julgamento dos tribunais superiores. A chance de êxito da Federação nesta causa é grande. A sentença foi dada como procedente logo na primeira instância”, explicou Godoi. Caso não haja recurso por parte da União, o processo está encerrado.
 
 Ricardo Godoi, advogado tributarista
 
“O risco sempre existe”
 
O advogado lembrou o dever da Fenaserhtt em alertar as empresas das possibilidades e os riscos da exclusão do imposto. Para pleitear a devolução do ISSQN pago nos últimos cinco anos, é preciso acionar a Justiça de modo individual. “Infelizmente o valor pago prescreve mensalmente, o que em tese obriga as empresas a entrar com ação na tentativa de congelar o crédito.”
 
 
 
A devolução do dinheiro pode ser feita por compensação ou restituição dos valores recolhidos, explica Godoi. “Será preciso retificar todas as declarações feitas à Receita Federal para que o crédito seja gerado no sistema, porém, certamente haverá indeferimento pelo órgão. É uma briga judicial, por isso cada empresa precisa avaliar a sua realidade.”
 
 
 
 
Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02