• Facebook
  • Youtube
  • Twitter
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • Jornal Fenaserhtt
  • Sindeprestem patrocina 37º FÓRUM GERH
  • BRASIL RETOMA POTENCIAL DE INVESTIMENTO COM NOVAS LEIS TRABALHISTAS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • comunicado_vander
  • fórum cebrasse
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • 26anos Novo

22/03/2013 | Ministério da Fazenda sinaliza luz no fim do túnel

Sindeprestem apresenta estudo técnico sobre PIS/Cofins

 Vander Morales, presidente do Sindeprestem, acompanhado do vice-presidente Fernando Calvet, do deputado Paulo Teixeira (PT-SP) e de lideranças do setor de Serviços, esteve com o secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda, Dyogo Henrique de Oliveira, no último dia 20 de março, em Brasília, para apresentação do estudo técnico sobre PIS e Cofins elaborado por um especialista a pedido do Sindicato para demonstrar o impacto do regime não-cumulativo no setor.

O estudo demonstra perdas significativas nos segmentos de prestação de serviços representados pelo Sindeprestem e no trabalho temporário entre os anos de 2007 e 2011, provocadas pela alteração da cobrança das alíquotas de PIS e Cofins: queda de 10,52% no faturamento, diminuição de 7,99% no total das margens de lucro e redução de 4,37% na capacidade de contratação de mão de obra.

Segundo os representantes do Sindeprestem presentes ao encontro, o Ministério da Fazenda sinalizou mudança, que segundo Henrique de Oliveira, deverá acontecer em junho deste ano. “De acordo com a proposta do secretário, todo setor de serviços deverá ficar no sistema não cumulativo, porém os valores de PIS e de Cofins provisionados pelas empresas de prestação de serviços poderão ser compensados pelo tomador”, explica Vander Morales.

Para Fernando Calvet, vice-presidente do Sindeprestem, os objetivos vão sendo alcançados graças à qualidade das ações institucionais realizadas nos últimos anos. “O estudo aponta não somente o quanto nosso setor foi prejudicado, mas também propõe soluções. É dentro deste contexto de transparência que norteamos nossas propostas e reivindicações”.

Últimas Noticias

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02