• LANÇAMENTO DO LIVRO “TERCEIRIZAÇÃO, UMA ABORDAGEM ESTRATÉGICA” REÚNE CONVIDADOS EM NOITE DE AUTÓGRAFOS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • Site Fenaserhtt de cara nova
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • Conferência Internacional do Setor de Serviços Brasil-Portugal
  • 26anos Novo

13/07/2017 | Temer deve sancionar reforma trabalhista ainda hoje - O Estado de S. Paulo

Cerimônia está marcada para as 15h na agenda do presidente; evento deve contar com a participação do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles

BRASÍLIA - Depois de um dia de mais de 15 horas de conversas e de articulação política, o presidente Michel Temer, que deixou o Planalto por volta de 1h da manhã desta quinta-feira, 13, deve sancionar o texto final da reforma trabalhista ainda hoje, em uma cerimônia marcada para as 15h no Palácio.

A reforma trabalhista foi aprovada no plenário do Senado na última terça-feira, 11. Uma das estratégias do governo foi prometer mudanças no texto final por meio de vetos do presidente ou Medidas Provisórias que seriam encaminhadas ao Congresso.

Durante a tramitação no Senado, Temer enviou um documento a senadores em que se comprometeu com as mudanças, dando carta branca ao líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), para negociar as alterações.

Na madrugada seguinte à aprovação do texto na Casa, porém, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou em sua conta no Twitter que a Câmara não aprovaria nenhuma mudança no texto votado por senadores, o que fez com que até senadores da base do governo cobrassem o acordo feito por Temer.

Mais tarde, Maia amenizou o tom e afirmou que aprovação de mudanças dependerá do texto. "Não posso falar daquilo que não conheço", disse o presidente da Câmara ao Broadcast Político.

 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02