• Sindeprestem patrocina 37º FÓRUM GERH
  • BRASIL RETOMA POTENCIAL DE INVESTIMENTO COM NOVAS LEIS TRABALHISTAS
  • LANÇAMENTO DO LIVRO “TERCEIRIZAÇÃO, UMA ABORDAGEM ESTRATÉGICA” REÚNE CONVIDADOS EM NOITE DE AUTÓGRAFOS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • 26anos Novo

04/07/2017 | Senado vota hoje urgência para reforma trabalhista - O Estado de S. Paulo

Julia Lindner e Thiago Faria

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), deve pautar hoje requerimento de urgência para a votação da reforma trabalhista no plenário da Casa. Se aprovado, o projeto ganha prioridade e pode ser apreciado na segunda sessão deliberativa após a aprovação do pedido.

Eunício considera que a votação do texto deve ficar para a próxima terça-feira, para garantir maior quórum. O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), entretanto, destacou que ainda é possível haver um acordo entre os líderes para antecipar a votação para quinta-feira. 

“O governo quer discutir e votar a reforma trabalhista, mas o presidente Eunício vai conduzir esse entendimento. Desde que haja um compromisso de forma, e não de conteúdo, nós vamos buscar um acordo que facilite a votação”, afirmou.

Ele ponderou que “não há nenhuma intenção de passar um trator em cima da oposição”. “No plenário vamos discutir, o que não fizemos na comissão justamente para não atrasar as discussões”, declarou Jucá.

Ele afirmou que o governo está discutindo a medida provisória que o presidente Michel Temer se comprometeu a editar para atender o parlamentares após eventual aprovação da proposta. Sobre a possibilidade de o governo recuar, na MP, sobre o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, Jucá afirmou que não há definição.

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02