• Sindeprestem patrocina 37º FÓRUM GERH
  • BRASIL RETOMA POTENCIAL DE INVESTIMENTO COM NOVAS LEIS TRABALHISTAS
  • LANÇAMENTO DO LIVRO “TERCEIRIZAÇÃO, UMA ABORDAGEM ESTRATÉGICA” REÚNE CONVIDADOS EM NOITE DE AUTÓGRAFOS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • 26anos Novo

29/06/2017 | Presidência acionou ‘rolo compressor’ para reforma trabalhista passar - O Globo

Edison Lobão e Romero Jucá, em segundos, colocaram em votação o pedido de urgência para que o projeto fosse direto para o plenário

BRASÍLIA - O Palácio do Planalto deflagrou uma estratégia de adotar o chamado rolo compressor no Congresso. São três direções: aprovar em regime de urgência a reforma trabalhista no Senado, aprovar o nome de Raquel Dodge para ser a procurador-geral da República rapidamente e também correr na Câmara com a tramitação da denúncia do Ministério Público contra o presidente Michel Temer. No início da madrugada desta quinta-feira, logo após a aprovação da reforma trabalhista no Senado, o clima entre ministros do Palácio do Planalto era de comemoração.


No Palácio do Planalto e entre aliados, houve um alívio com a vitória na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), com as fiéis atuações do presidente da comissão, senador Edison Lobão (PMDB-MA), e do líder do governo no Senado e relator da reforma, Romero Jucá (PMDB-RR). Ao fim da sessão, enquanto a oposição reclamava, Lobão e Jucá em segundos colocaram em votação o pedido de urgência para que a reforma fosse direto para o plenário do Senado. A oposição só acordou depois da aprovação, e a sessão foi encerrada com gritos e protestos.


Enquanto isso, ministros e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), acompanhavam pela TV a sessão da CCJ.

— As reformas avançam. Vamos ao plenário — disse o ministro Moreira Franco ao GLOBO, após o resultado.

O rolo compressor deve se repetir nos demais desafios. O presidente Temer não vai usar o prazo máximo de dez sessões para apresentar sua defesa na CCJ, no caso da denúncia contra ele que foi protocolada na manhã desta quinta-feira na Câmara.


Das dez sessões do prazo, a ideia é utilizar de três a quatro sessões. Aliados dizem que há sim votos na base para barrar a denúncia. Os mais animados falam que no plenário haverá mais de 250 votos.

 

Nas conversas com aliados, Temer tem sido firme, mas está sendo aconselhado a conversar com todos os deputados.

A manobra de antecipar a indicação de Raquel Dodge foi comemorada, como antecipação do processo de substituição de Janot.

— Agora, entra na fase de começar a recebe café frio — brincou um deputado que frequenta o Palácio do Planalto.

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02