• SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • Site Fenaserhtt de cara nova
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • Câmara setorial
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • Conferência Internacional do Setor de Serviços Brasil-Portugal
  • 26anos Novo

07/06/2017 | Renan tenta prejudicar votação da reforma trabalhista em comissão - O Globo

Líder do PMDB alega ter direito a indicar um nome para vaga no colegiado

POR BÁRBARA NASCIMENTO

BRASÍLIA - O líder do PMDB no Senado Federal, Renan Calheiros (AL), conseguiu colocar, na última hora, uma pedra no sapato do governo na votação da reforma trabalhista. Antes da abertura das votações, ele pediu a palavra e apresentou uma questão de ordem em relação a um dos postos da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que está vago. O líder do PMDB alega ter direito a indicar um nome para a vaga. Renan tem se mostrado contrário à aprovação das reformas. Ou seja, poderia indicar alguém que votaria contra o governo.

O presidente da CAE, Tasso Jereissati (PSDB-CE), indeferiu a questão de ordem, mas disse que sua decisão poderia ser revertida pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira:

— Indefiro e remeto à indicação do plenário. No momento em que chegar uma indicação do presidente do Senado, eu acatarei imediatamente.

Segundo ele, o regimento indica que os postos vagos pertencem ao líder que os reivindicarem primeiro. Ele alega ter feito o pedido no dia 14 de março. Ele foi apoiado em peso pela oposição.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB- RR), afirmou que esta não deve ser uma decisão da CAE, mas sim uma determinação da presidência da Casa.

Se Renan conseguir colocar na vaga um nome contrário à reforma, o placar pode ficar apertado para o governo. O relator, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), estimou mais cedo um placar de 15x10 ou 14x11 favoráveis ao relatório.

 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02