• SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • Site Fenaserhtt de cara nova
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • Câmara setorial
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • Conferência Internacional do Setor de Serviços Brasil-Portugal
  • 26anos Novo

07/05/2017 | “Informalidade e rotatividade vão diminuir” - O Estado de S.Paulo

Para o professor da PUC-Rio José Márcio Camargo, o número de litígios vai cair

 

A reforma trabalhista vai gerar empregos?

Sim. As empresas vão investir mais nos trabalhadores, elevando a produtividade e gerando crescimento econômico. Atualmente, metade da força de trabalho no Brasil é informal, e o salário médio é de R$ 950,00. Se a CLT fosse tão boa, o salário médio seria bem mais alto. A informalidade e a rotatividade vão diminuir. A China retirou 800 milhões de pessoas da pobreza com relações de trabalho supostamente precárias. A economia cresce mais e os salários são mais altos que no Brasil.

Os litígios e as disputas judiciais serão reduzidos?

Sim. Será o primeiro passo na direção de eliminar a Justiça do Trabalho e reduzir a insegurança jurídica. Um dos maiores passivos das empresas que entram atualmente em recuperação judicial é o trabalhista. Hoje, quando um trabalhador assina um contrato e é mandado embora, ele recorre à Justiça do Trabalho, que muda o contrato inteiro. Com a nova legislação, ela não vai mais poder interferir em itens pequenos, mas importantes, que geram muitos problemas para as empresas.

O trabalho intermitente é um avanço?

Sim. Será mais fácil contratar trabalhadores em tempo parcial, o que vai aumentar a geração de empregos de estudantes e mulheres, que não querem ou podem trabalhar em tempo integral. Esse tipo de contrato será mais comum do que antes e vai reduzir o desemprego no País. 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02