• Banner eSocial - Fatos e Notícias
  • Evento Manaus
  • Banner Propostas
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018

24/07/2018 | Presidente de empresa ganha 39 vezes mais que diretor – Folha de S.Paulo

Demorou nove anos para os investidores conhecerem detalhes das remunerações de todos os executivos e conselheiros das companhias abertas brasileiras.

Em 2009, a CVM, reguladora do mercado de capitais, mandou que elas divulgassem a remuneração média, a menor e a maior dos administradores.

Desde então, 45 empresas seguraram as informações, por meio de uma liminar, sob argumentos como "privacidade e segurança".

Entre as que mantinham os dados sob sigilo estavam bancos e varejistas. Mas, em junho passado, a liminar caiu.

Um primeiro olhar já chamou a atenção para as diferenças muito expressivas entre o maior e o menor pagamento, dentro dos colegiados, de pelo menos 16 companhias.

No caso da CPFL Energia, o maior pagamento supera o menor em 38 vezes (3.689%). Na Hypera, a diferença é de 27 vezes; no Pão de Açúcar, de 33 vezes; na Porto Seguro, de 31.

As diferenças podem estar amparadas em boas justificativas, e os números precisam ser olhados caso a caso.

A atuação de um só executivo pode ser o diferencial para as receitas de uma empresa.

Funcionários da montadora italiana Fiat-Chrysler ameaçaram greve para protestar contra a contratação pela Juventus de Cristiano Ronaldo, melhor jogador do mundo.

Uma das sócias majoritárias do time italiano, a holding Exor tem 30% da montadora.

Nos últimos anos, a Fiat vem pedindo aos funcionários que façam sacrifícios em razão de restrições financeiras no setor. E eles se indignaram com o valor do negócio, € 100 milhões (R$ 443,5 milhões).

A notícia seguinte foi: em só três dias, a receita com a venda de camisas do time com o nome de Ronaldo já equivalia à metade da transação.

Renato Chaves, consultor de governança corporativa e ex-diretor da Previ (fundo de pensão do Banco do Brasil), diz entender que um presidente de conselho ou da companhia deva ganhar mais. "Mas será que um percentual superior a 1.000% é, de fato, adequado?", questiona.

Ele mostra ainda mais preocupação quando quem ganha mais é o fundador.

"Em tese, essa figura já foi premiada quando vendeu a empresa na Bolsa. Se continua com um pagamento diferenciado por ter criado o negócio, acaba tendo um dividendo eterno", afirma.

Heloisa Bedicks, superintendente-geral do IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), diz que as empresa devem ser transparentes nessas informações.

"Cabe aos acionistas, de posse dos detalhes e justificativas, comparecer às assembleias e eventualmente questionar esses valores, se acharem que é o caso", diz Heloisa.

Anualmente, as empresas submetem à assembleia um valor geral para remuneração anual de seus administradores. O que não se sabia até agora, para algumas companhias, era como o bolo é dividido.

Heloisa afirma ainda que é recomendável que as diferenças não sejam "muito grandes". Mas diz acreditar que elas podem ter bons motivos.

"Se a empresa está numa fase de aquisições, ou se um conselheiro dedica mais horas a ela, faz parte de diversos comitês de assessoramento", diz.

A partir de agora, ela afirma que o IBGC vai se debruçar sobre a análise dos dados.

A pesquisa mais recente do instituto foi em 2016.

Parece ser razoável supor que, no caso dos bancos, o ganho do presidente, pelo tamanho da responsabilidade, seja maior do que os de diretores com menos atribuições.

No Itaú e no Santander, a maior remuneração supera a menor em 18 vezes; no Bradesco, em 16; no BTG, em 4,7 vezes.

Casos de Kroton (12 vezes) e Hypera podem ser explicados pelo volume de aquisições dos últimos anos, que aumentaram os bônus dos executivos e os retornos dos acionistas.

Localiza e Porto Seguro, que têm fundadores no conselho, destacam as horas dedicadas ao dia a dia da empresa e o conhecimento do negócio.

Outros fatores apontados pelas companhias são o atrelamento dos valores pagos a metas de desempenho, o período de exercício de planos de opções e até a renúncia de algum diretor ou conselheiro durante o exercício.

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02