• Banner Reforma Tributária
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • 1º Fórum “O futuro do trabalho e o impacto das novas leis no Brasil”
  • Novidade na assessoria jurídica do Sindeprestem
  • CONCESSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS  PODEM TERCEIRIZAR MÃO DE OBRA
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem

21/06/2018 | Temer comemora, mas geração de empregos em maio teve o pior resultado de 2018 - O Globo

O mercado formal de trabalho registrou, em maio, a geração líquida de 33.659 empregos. A informação foi publicada no perfil do presidente Michel Temer no Twitter. Com as eleições se aproximando, o Palácio do Planalto tem feito um esforço para criar uma agenda econômica positiva. Ainda de acordo com a postagem, no acumulado do ano, o total de vagas criadas chega a 381.166.

Em maio de 2017, o saldo do mercado de trabalho foi positivo em 34.253 postos, segundo o Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. De acordo com o levantamento da pasta que acompanha o comportamento do emprego formal desde 1992, o melhor maio para a geração de empregos ocorreu em 2010, quando foram criados 298.041 postos e o pior, em 2015, em plena crise da economia, quando foram fechados 115.599 postos.

O resultado de maio, no entanto, é o mais baixo de 2018 e bem inferior ao de abril, quando a geração líquida de empregos foi de 115.898 vagas. O número também é menor que o registrado no mesmo período de 2017, quando o saldo foi positivo em 34.253 postos. De acordo com o Caged, o melhor maio para a geração de empregos ocorreu em 2010, quando foram criados 298.041 postos e o pior, em 2015, em plena crise da economia, quando foram fechados 115.599 postos.

As regiões em que o emprego mais cresceu foram Sudeste (30.840 postos formais) e Nordeste (10.710 empregos). O Rio, porém, continua na contramão do emprego e registrou saldo líquido negativo de 3.139 postos em maio.

 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02