• WORKSHOP E-SOCIAL
  • Diretoria executiva propõe agenda de encontros presenciais com filiados e associados
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • 1º Fórum “O futuro do trabalho e o impacto das novas leis no Brasil”
  • Novidade na assessoria jurídica do Sindeprestem
  • CONCESSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS  PODEM TERCEIRIZAR MÃO DE OBRA
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional

01/03/2018 | Reforma tributária não vai reduzir carga de impostos, diz Meirelles - Folha de S.Paulo

 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quinta-feira (1º) que a reforma tributária que está sendo conduzida pelo governo não vai reduzir a carga de impostos do país.

 

"A busca é pela simplificação tributária", afirmou o ministro em entrevista à rádio Eldorado, acrescentando ainda que, com a melhora da economia e com a simplificação tributária, a carga no país poderá começar a cair.

 

A reforma do Pis/Cofins está na lista de prioridades colocada pelo governo recentemente junto ao Congresso Nacional após ter desistido de votar a reforma da Previdência com a intervenção federal na segurança pública no estado do Rio de Janeiro.

 

Meirelles, ao ser questionado sobre sua eventual candidatura à Presidência da República, repetiu que decidirá apenas no início de abril e que, por enquanto, não estava pensando nisso, mantendo-se totalmente focado na condução da economia.

 

No entanto, afirmou que tem conversado com diversos segmentos da população, em várias regiões do país.

 

O ministro afirmou ainda que tem tido "excelentes conversas" com o PSD, sua atual legenda, e também com o MDB, para sua candidatura.

 

"Estou sentido receptividade muito grande [dos partidos]", afirmou ele.

 

Na véspera, Meirelles esteve reunido com representantes da agência de classificação de risco Moody's e afirmou que eles ainda não haviam decidido sobre novo rebaixamento do rating brasileiro, mas que isso ocorreria em breve.

 

Neste início de ano, a S&P Global e a Fitch reduziram a nota do Brasil por conta da não aprovação da reforma da Previdência, em meio à situação fiscal delicada do país.

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02