• WORKSHOP E-SOCIAL
  • Diretoria executiva propõe agenda de encontros presenciais com filiados e associados
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • 1º Fórum “O futuro do trabalho e o impacto das novas leis no Brasil”
  • Novidade na assessoria jurídica do Sindeprestem
  • CONCESSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS  PODEM TERCEIRIZAR MÃO DE OBRA
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional

23/02/2018 | Mercado tem 26,4 milhões de trabalhadores subutilizados, mostra IBGE - Valor Econômico

O país tinha 26,4 milhões de trabalhadores subutilizados no quarto trimestre de 2017, de acordo com detalhamentos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua trimestral, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Subutilização é um conceito usado pelo IBGE que soma desempregados às pessoas que estavam trabalhando menos do que gostariam (os chamados subocupados) ou que poderiam trabalhar, mas estavam fora do mercado (a chamada força de trabalho potencial). 

Segundo o instituto, o contingente de 26,4 milhões de trabalhadores subutilizados equivalia a 23,6% da chamada força de trabalho ampliada (que inclui a força de trabalho e a força de trabalho potencial). Essa é a chamada taxa de subutilização. No terceiro trimestre de 2017, essa taxa estava em 23,8%. 

Num olhar pelas unidades da federação, as maiores taxas de subutilização foram no Piauí (40,7%), a Bahia (37,7%), Alagoas (36,5%) e Maranhão (35,8%). Já as taxas mias baixas foram observadas em Santa Catarina (10,7%), Mato Grosso (14,3%), Rio Grande do Sul (15,5%) e Rondônia (15,8%). 

O IBGE também divulgou nesta sexta-feira a taxa de desemprego por unidades da federação. No Estado de São Paulo, a taxa foi de 12,7% no último trimestre de 2017, abaixo do registrado no terceiro trimestre (13,2%). A taxa seguia, no entanto, acima da registrada no mesmo período do ano anterior (12,4%). 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02