• Banner eSocial - Fatos e Notícias
  • Evento Manaus
  • Banner Propostas
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • Palavra do presidente

06/02/2018 | Marun nega pedido de novo nome para o Trabalho ao PTB - Valor Econômico

Marun nega pedido de novo nome para o Trabalho ao PTB - Valor Econômico

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse ontem que o governo federal não solicitará ao PTB outro nome em substituição ao da deputada Cristiane Brasil para o cargo de ministra do Trabalho. Mesmo diante de novas denúncias contra a deputada, Marun reafirmou que a luta é pelo respeito à Constituição e que o governo insistirá no reconhecimento da prerrogativa do presidente de nomear e exonerar seus ministros.

Neste fim de semana, veio à tona um inquérito que investiga se Cristiane participou de um esquema de pagamento a traficantes de três comunidades na Zona Norte do Rio para garantir, em 2010, apoio à candidatura de Marcus Vinícius (PTB), seu ex-cunhado, a deputado estadual no Rio. Áudio obtido pela "TV Globo" mostrou uma coação que a deputada fez a funcionários da Secretaria Especial de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida do Rio, em 2014, para conseguir votos para o cargo de deputada federal, argumentando que eles seriam demitidos se ela não fosse eleita.

Marun afirmou que não houve qualquer movimento do PTB para indicar outro nome para o cargo. "Não vamos solicitar nada nesse sentido", disse. "A luta agora é pelo respeito à Constituição Federal", afirmou, ressaltando que o governo não tem "o direito de desistir dessa luta". 

O ministro da Secretaria de Governo disse também que Cristiane não tem nenhuma condenação. "A deputada não tem nenhuma condenação, não existe nada que efetivamente denigra o nome da deputada nesse sentido", enfatizou. Ele foi questionado sobre a condenação da deputada na Justiça trabalhista, em 2016. "Nós entendemos que o fato de alguém ter perdido uma ação trabalhista não significa que essa pessoa seja imoral ou amoral", disse.

Questionado se custo político para manter a indicação é alto e se a preocupação do governo é com a reforma da Previdência, e não necessariamente com o ministério, Marun disse que o governo quer o reconhecimento da Justiça sobre as prerrogativas do presidente. O ministro afirmou que não está "apequenando a questão da Previdência". 

Cristiane é filha de Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. O partido indicou fechamento de questão em torno da reforma da Previdência e o governo não quer perder os votos do partido. Na entrevista, Marun disse que os "votos da Previdência não estão em risco" e que "não são fator preponderante sobre decisão sobre Cristiane Brasil". 

Por meio de nota, Cristiane disse que tem enfrentado uma "campanha difamatória" para impedir sua posse e afirmou que tem sido julgada "política e não juridicamente". "Peço, respeitosamente, à ministra Cármen Lúcia que julgue o mais rápido possível essa questão, baseada na existência de duas ações trabalhistas que tive no passado", disse. 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02