• WORKSHOP E-SOCIAL
  • Banner Reforma Tributária
  • Diretoria executiva propõe agenda de encontros presenciais com filiados e associados
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • 1º Fórum “O futuro do trabalho e o impacto das novas leis no Brasil”
  • Novidade na assessoria jurídica do Sindeprestem
  • CONCESSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS  PODEM TERCEIRIZAR MÃO DE OBRA
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional

09/01/2018 | Black Friday impulsiona vendas e comércio tem alta de 0,7% em novembro - O Estado de S.Paulo

As vendas do comércio varejista subiram 0,7% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, informou nesta terça-feira, 9, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As promoções da Black Friday, campanha que mobiliza especialmente o comércio eletrônico no País, ajudaram a impulsionar as vendas do varejo no período, afirmou Isabella Nunes, gerente na Coordenação de Serviços e Comércio do instituto.

O resultado superou a mediana das estimativas dos analistas consultados pelo Projeções Broadcast, calculada em 0,20%, e ficou dentro do intervalo das previsões, de queda de 0,60% a alta de 1,52%.

Apesar do bom resultado, as vendas do comércio varejista ainda estão longe de alcançar o pico registrado em anos anteriores, mas já mostraram recuperação importante em 2017, avaliou Isabella Nunes.

Na comparação com novembro de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 5,9% em novembro de 2017. Esse  foi o melhor desempenho para o mês desde 2013, quando o volume vendido teve avanço de 7,1%. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 3,7% no ano e aumento de 2,6% em 12 meses.

O volume vendido pelo varejo está 8,6% abaixo do nível recorde alcançado em outubro de 2014, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio. "A recuperação observada em 2017 ainda não anula perdas importantes do passado. Mas o varejo mostra uma recuperação importante com certeza", resumiu Isabella.

O varejo brasileiro registrou uma melhora além do esperado em novembro e os próximos dados devem seguir positivos, na avaliação do economista-sênior internacional da Pantheon Macroeconomics, Andres Abadia.

"A principal história aqui é que a melhora das condições de crédito, a baixa inflação e a estabilidade do mercado de trabalho estão ajudando os consumidores, e esperamos um desempenho relativamente bom no quarto trimestre do ano, na margem, como um todo", escreveu em relatório enviado a clientes, acrescentando que os ganhos foram sólidos e devem se perpetuar no primeiro trimestre de 2018.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 2,50% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio acima do teto do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 0,50% a um avanço de 2,3%, com mediana positiva de 0,5%.

Na comparação com novembro de 2016, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 8,7% em novembro de 2017. Nesse confronto, as projeções variavam de uma expansão de 4,4% a 8,2%, com mediana positiva de 6,05%. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 3,7% no ano e aumento de 2,6% em 12 meses.

Por setores. O acréscimo de 0,7% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de outubro para novembro de 2017, na série com ajuste sazonal, mostrou predomínio de resultados positivos, que alcançaram cinco das oito atividades pesquisadas. Dentre essas, os maiores avanços foram observados nos setores de Outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,0%); Móveis e eletrodomésticos (6,1%), setores de marcada presença nas vendas pela internet.

Com variação positiva nas vendas, encontram-se ainda Livros, jornais e papelaria (1,4%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%); e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que com o acréscimo de 0,8% marcou o oitavo avanço consecutivo nessa comparação, período que acumulou ganho de 6,5%.

Por outro lado, sinalizando recuo nas vendas frente a outubro de 2017, figuram Combustíveis e lubrificantes, com redução de 1,8% e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-5,8%), ambos compensando avanços de, respectivamente, 1,6% e 2,7% registrados no mês anterior. O setor de Tecidos, vestuários e calçados (0,0%) manteve as vendas estáveis na passagem de outubro para novembro de 2017.

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02