• CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • Jornal Fenaserhtt
  • comunicado_vander
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional
  • 26anos Novo

27/11/2017 | Atraso de contas bate recorde e afeta Natal - Valor Econômico

O Natal deste ano deverá ter recorde de brasileiros com contas em atraso, de acordo com dados da Serasa Experian, o que deve afetar as vendas a prazo. Em outubro, segundo a empresa, o número de consumidores inadimplentes (contas em atraso há mais de 90 dias) era de 61 milhões, 4,45% a mais que em outubro de 2016 (58,4 milhões). O número é o maior da série histórica iniciada pela Serasa em 2012.

De acordo com a empresa, o patamar de inadimplentes estabilizou entre 60,5 milhões e 61 milhões de março para cá. O desemprego foi o principal motivo apontado pelos devedores para as contas atrasadas, afirma Luiz Rabi, economista da Serasa Experian.

Embora os bancos continuem contidos na concessão de crédito, o desemprego esteja em leve declínio e tenha ocorrido a injeção de recursos na economia por meio da liberação do saque das contas inativas do FGTS, a queda da inadimplência tem ocorrido em ritmo mais lento que o esperado. Números dos Banco Centra divulgados na semana passada confirmam essa tendência. Segundo o BC, o nível de atrasos superiores a 90 dias, ficou estável em outubro, em 3,6%.

De acordo com a Seresa, o número está demorando a ceder porque cada inadimplente mantinha este ano uma média de quatro contas em atraso.

Para Guilherme Dietze, assessor econômico da FecomercioSP, o nível de endividamento atual das famílias só deve recuar com a melhora do emprego. "A geração de empregos é crucial para reduzir esse patamar de inadimplência, que está estabilizado num nível elevado. Essa tendência de melhora deve se concretizar em 2018", afirma.

 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02