• WORKSHOP E-SOCIAL
  • Sindeprestem participa de evento sobre Reforma Trabalhista no Uruguai
  • Diretoria executiva propõe agenda de encontros presenciais com filiados e associados
  • app do sindeprestem
  • BOLETOS ON-LINE
  • Trabalho Temporário é ferramenta importante contra o desemprego, afirma Vander Morales em fórum
  • 1º Fórum “O futuro do trabalho e o impacto das novas leis no Brasil”
  • No Sindeprestem, Lívio Giosa defendeu protagonismo empresarial e representatividade política do setor de Serviços
  • Novidade na assessoria jurídica do Sindeprestem
  • CONCESSIONÁRIAS DE SERVIÇOS PÚBLICOS  PODEM TERCEIRIZAR MÃO DE OBRA
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional

06/11/2017 | Aplicativo aponta onde tem vaga de emprego na região - Valor Econômico

No momento em que o desemprego dá sinais de arrefecimento e que a procura por mão de obra parece ganhar ritmo, a conexão entre profissionais e empresas volta a ser um discussão relevante. Um dos debates é como conduzir processos seletivos mais eficientes, rápidos e menos custosos? 

É nesse contexto que os ex-executivos do Itaú, Zeca Rudge (que mais recentemente era responsável por marketing, pessoas, eficiência, compras e patrimônio) e Daniel Gleizer (liderava a área de tesouraria institucional) colocaram no ar há duas semanas o aplicativo Apponte. Nele, empresas podem cadastrar vagas e quem está em busca de uma nova posição pode incluir seu currículo.

Até aí, a dinâmica do Apponte não tem nenhuma diferença de serviços já existentes como Catho e LinkedIn. Mas o aplicativo também tem um quê de sistema de gestão de processos de recrutamento - como os oferecidos pela brasileira LG e outras empresas de software. Isso porque as empresas podem não só encontrar os candidatos que acham que são mais aptos  para as vagas, mas fazer as primeiras etapas da seleção dentro do aplicativo.

Na sessão de desafios, o recrutador pode apresentar até seis testes (nível de inglês, conhecimentos específicos etc.) ou pedir para que o candidato envie um áudio ou vídeo. "É uma tecnologia fantástica com custo zero", disse Rudge. Segundo ele, a ideia é não cobrar nada dos candidatos, nem das empresas. O modelo de negócios prevê gerar receita com  a venda de cursos e serviços de parceiros.

Outro recurso interessante é o uso da tecnologia de realidade aumentada para a busca de vagas. Por meio da câmera do celular e do sistema de localização, o aplicativo mostra onde há posições em aberto nas proximidades. Basta apontar o aparelho em alguma direção que pequenos ícones aparecem na tela indicando o nome da vaga e a distância em que ela  está. Com um toque, é possível saber mais detalhes da posição e, na sequência, candidatar-se.

O investimento na criação do Apponte foi de quase R$ 2 milhões dos próprios sócios nos últimos dois anos. Além dele e de Gleizer, participam da iniciativa outras duas ex-executivas do Itaú, Jacqueline Dias e Carolina Tarantino. Nos próximos dias, uma campanha de marketing digital será iniciada para promover o aplicativo nas redes sociais. Segundo Rudge, a expectativa é ter milhões de usuários em pouco tempo. "É mais uma ferramenta para se expor, se apresentar", disse.

Desde que o aplicativo foi colocado nas lojas virtuais da Apple e do Google, o executivo disse já ter recebido contatos de universidades e empresas interessadas em usar o serviço. "Até estrangeiros interessados em trabalhar no Brasil já se cadastraram", afirmou. 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02