• CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018
  • FENASERHTT E SINDEPRESTEM comemoram mudança na cobrança de PIS e COFINS no Trabalho Temporário
  • Contratação de empresa de Trabalho Temporário gera crédito de PIS E COFINS - Posicionamento Receita Federal
  • REFORMA TRABALHISTA – LEI N. 13.467/17 - Com a Reforma Trabalhista em vigor, atenção para estas orientações
  • Jornal Fenaserhtt
  • comunicado_vander
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Sindeprestem Institucional
  • 26anos Novo

26/10/2017 | Pesquisa indica que 45% das empresas possuem baixo índice de compliance – O Estado de S.Paulo

Ainda que o tema compliance esteja na boca das empresas, uma pesquisa realizada pela consultoria Protiviti indica que pelo menos 45% das companhias brasileiras possuem baixo índice de boas práticas.

 

De acordo com Heloísa Macari, sócia-diretora da Protiviti, empresa que desenvolve projetos de governança e gestão de risco, grande parte dos entrevistados confirmou o interesse por reverter essa situação, ao mesmo tempo em que assumem a dificuldade em implementar mecanismos para prevenção e combate a atos ilícitos.

"Notamos que muitas vezes falta até mesmo a percepção do que é um programa de compliance. Muitos empresários precisam buscar informação e o caminho para estruturar isso da maneira correta", opina. 

 

 

A pesquisa, feita em parceria com a empresa de educação digital CrossKnowledge, também identificou que entre as empresas com baixo índice de compliance, aquelas de pequeno e médio porte enfrentam mais dificuldades.

 

"Há uma preocupação, entre as médias, de ao menos entender o que é compliance e como isso pode beneficiar a empresa. Em casos de empresas familiares costuma ser ainda mais difícil assimilar a estruturção do programa, contratar bons profissionais e amadurecer tudo isso", analisa a presidente do Instituto Compliance Brasil, Sylvia Urquiza.

 

++ Doação de empresa ao poder público tem custo e exige transparência

 

Para ela, apesar de ser um assunto em alta no mercado, ainda é preciso demonstrar às empresas que implementar boas práticas de governança tem relação com investimento, não custo. "Temos um desafio cultural aqui, uma vez que muitas companhias não compreendem como o compliance ajuda a desenvolver seus negócios".

 

Ainda assim, Sylvia acredita que essa situação tende a mudar no curto prazo graças ao aumento do interesse por certificação e implementação de compliance. "Vejo um cenário em que há empresários sem saber como agir nesse sentido, mas que estão buscando soluções. Assim, acredito que daqui 5 anos não estaremos mais discutindo isso e com uma porcentagem pequena de empresas sem um bom programa de boas práticas", aposta.

A maneira como essa estrutura funcionará também merece atenção, destaca Heloísa Macari. "De fato, temos a necessidade de aprimorar o nível de compliance dessas empresas. Mas, uma vez em funcionamento, é preciso garantir que eles são efetivos e funcionam. Não pode existir apenas por existir e cumprir regras", afirma.

 

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02