• Sindeprestem patrocina 37º FÓRUM GERH
  • BRASIL RETOMA POTENCIAL DE INVESTIMENTO COM NOVAS LEIS TRABALHISTAS
  • LANÇAMENTO DO LIVRO “TERCEIRIZAÇÃO, UMA ABORDAGEM ESTRATÉGICA” REÚNE CONVIDADOS EM NOITE DE AUTÓGRAFOS
  • SETOR DE SERVIÇOS ALERTA CASA CIVIL E MINISTÉRIO DO TRABALHO  PARA INTERFERÊNCIAS NA REFORMA TRABALHISTA
  • HIGIEXPO 2017
  • Download Cartilha sobre Lei 13.429/2017
  • Banner Homenagem Relator
  • FENASERHTT diz ser contra MP da Reforma Trabalhista em Audiência com Ministro Ronaldo Nogueira
  • LEI13467
  • comunicado_vander
  • Palestra Explicativa sobre a Medida Provisória nº 783/2017
  • fórum cebrasse
  • Vander Morales representa Brasil em palestra no Uruguai
  • Wec50anos
  • DECISÃO FAVORÁVEL : FENASERHTT CONSEGUE EXCLUSÃO DO ISS DA BASE DE CÁLCULO DE PIS/COFINS
  • 2910x450 Banner Bombeiro Civil Cartilha Sindeprestem
  • Pl 4302 1998 Agora E Lei 13429 2017
  • Sindeprestem Institucional
  • Benefício Social Familiar
  • 26anos Novo

12/09/2017 | Varejo em São Paulo volta a crescer no 1° semestre, após 3 anos sem alta – Folha de S.Paulo

Após três anos sem crescimento, o comércio varejista no Estado de São Paulo deverá terminar 2017 com uma alta acima de 5%, segundo a FecomercioSP, que acompanha o dado junto à Secretaria da Fazenda.

 

No primeiro semestre, a receita do setor subiu 3,6% em relação ao mesmo período de 2016, evolução que deverá se acelerar nos próximos meses, afirma Altamiro Carvalho, economista da federação.

 

"O setor dá sinais nítidos de recuperação desde novembro de 2016, e já percebemos aumento em todas as regiões do Estado. É uma trajetória de retomada sólida, apesar da base de comparação fraca."

 

As concessionárias de veículos e lojas de eletrodomésticos, que já estavam em forte retração desde 2014, voltaram a ampliar sua receita neste ano —em 6,5% e 4,7%, respectivamente.

 

"A venda de bens duráveis, associada à tomada de crédito, requer uma confiança do consumidor. Esses segmentos têm elevado o ritmo de retomada nos últimos meses."

 

Os setores que mais cresceram foram o de farmácias (11,3%), que sofreu pouco durante a crise, e o de autopeças (9,2%). O comércio de materiais de construção, vestuário e calçados teve a menor expansão, de 1,4%.

 

O Estado de São Paulo representa um terço do varejo nacional. A capital, que responde por 12% da receita do setor no país, teve um crescimento mais acelerado, de 4,8% no primeiro semestre.

Coffee News

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02